domingo, abril 02, 2006

Pegada Ecológica



A Pegada Ecológica constitui uma forma de medir o impacto humano na Terra. Este conceito, desenvolvido por Mathis Wackernagel e William Rees, no livro “Our Ecological Footprint - Reducing Human Impact on the Earth” (1996), exprime a área produtiva equivalente de terra e mar necessária para produzir os recursos utilizados e para assimilar os resíduos gerados por uma dada unidade de população. Pode ser calculada para um indivíduo, uma comunidade, um país, ou mesmo para a população mundial. Por outras palavras, a Pegada Ecológica avalia a extensão com que uma dada população se apropria do espaço biologicamente produtivo. A Pegada Ecológica permite calcular a área de terreno produtivo necessária para sustentar o nosso estilo de vida. Uma vez que as pessoas usam recursos de todas as partes do mundo, e afectam locais cada vez mais distantes com os seus resíduos, esse espaço é, geralmente, o somatório de uma série de pequenas áreas distribuídas por todo o planeta que, na sua totalidade, tem vindo a aumentar.




Para calcular a Pegada Ecológica é necessário estimar o consumo de bens e serviços e a produção de resíduos da unidade de população em estudo. Esses bens e serviços incluem várias categorias, como os alimentos, o vestuário, o transporte, a energia, o lazer, a habitação, os produtos com origem na madeira (lenha, papel, mobiliário...), etc. Posteriormente, estima-se a área necessária à produção de cada um desses bens, dividindo a sua média anual de consumo, pela média da sua produtividade. Cada uma dessas áreas é considerada equivalente a um tipo de área biologicamente produtiva, e a sua soma constitui a Pegada Ecológica. As áreas consideradas biologicamente produtivas são as seguintes: área cultivada; área de pasto; área de floresta; área de recursos marinhos; área construída e área de floresta necessária para absorver as emissões de dióxido de carbono associadas ao consumo de combustíveis fósseis. De notar que, nos estudos até aqui realizados, ainda não foi possível entrar em consideração com variáveis importantes, como os consumos de água e a libertação de poluentes tóxicos, por insuficiência de dados, pelo que os valores das Pegadas Ecológicas apresentados têm sido subestimados. Dividindo a área produtiva pela população mundial, que em 1996 era de 5,7 biliões de habitantes, cada pessoa teria disponíveis, se os recursos fossem igualmente distribuídos, 2,2 hectares de área para satisfação das suas necessidades de consumo e assimilação dos seus resíduos. Essa área seria menor, tomando em consideração o espaço necessário à vida dos cerca de 15 milhões de espécies que povoam o Planeta.

Em 1996, a Pegada Ecológica Mundial foi de 2,85 hectares por pessoa (não considerando a área necessária às restantes espécies), o que excedeu em cerca de 30% o espaço biologicamente produtivo da natureza no mesmo ano. A Pegada Ecológica mundial é muito elevada, porque os países industrializados têm uma Pegada Ecológica muito elevada. Se o uso dos recursos da natureza não começar a ser controlado em breve, com o aumento da população mundial corre-se o risco de a Terra deixar de conseguir sustentar as necessidades dos seus habitantes.

Pedro Bica, 11º 1

2 comentários:

redrock disse...

Embora seja um assunto sério, o engraçado mesmo é calcular qual o valor da nossa pégada ecológia.
Para isso que tal visitar:
www.myfootprint.org
Bem giro....
divirtam-se...

redrock disse...

Neste momento Cuba é o único pais do mundo com desenvolvimento sustentável.
Os Emirados Árabes têm o maior consumo de recursos per capita.
O Brasil tem a 59ª maior pégada ecológica .